Duplicação na BR-101: concessionária encontra impasse por causa de reserva em Sooretama

Ibama sugeriu que a concessionária deixe o trecho da reserva ambiental por último e realize as outras partes da obra.

Duplicação na BR-101: concessionária encontra impasse por causa de reserva em Sooretama
A concessionária Eco-101, responsável pela BR-101 no Espírito Santo, encontra um impasse para continuar as obras de duplicação da rodovia. É que um dos trechos a ser duplicado, em Sooretama, é de reserva ambiental.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) sugeriu que a Eco-101 acelere a duplicação nos outros trechos da BR 101, na Região Norte do Espírito Santo — entre o município da Serra e Pedro Canário — e que deixe a etapa referente a reserva ambiental de Sooretama por último.

O trecho a ser duplicado no município abrange três outros municípios: Linhares, Jaguaré e Vila Valério. Além disto, a rodovia deve ganhar um novo traçado. Para a duplicação, será necessário retirar cerca de 20 metros de mata de cada lado da BR-101.

Impasse

O processo de licenciamento ambiental para a obra na BR-101 Norte foi aberto em 2014 pela Eco-101, e negado em 2018 pelo Ibama por afetar a reserva biológica de Sooretama, área de Mata Atlântica protegida por lei.

A concessionária tentou argumentar e apresentou alternativas — entre elas, a implantação de contornos e construção de elevados. No entanto, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela reserva, negou o recurso.

Motoristas reclamam

Enquanto o impasse não chega ao fim e as obras de duplicação no trecho Norte estão paradas, motoristas que passam diariamente pelo local estão indignados com os atrasos.

"A gente paga o pedágio, estamos sempre para lá e para cá, fica complicado. Essa obra em que sair porque pode ocorrer acidentes nas estradas... Fica difícil para o motorista", disse o motorista Paulo Amaral de Oliveira.

Já para o caminhoneiro Adilson Borguim, com a chegada da concessionária, a situação ficou pior. "Eu conseguia fazer o trecho Vitória - São Mateus em 3h30. Hoje, com a Eco-101, faço com 5h. Só de Pare e Siga para tapar buraco tem um monte", reclamou.

Pelo contrato firmado pela concessionária, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) afirmou que metade da duplicação já deveria ter sido finalizada. No Norte do estado, apenas trechos da rodovia em Ibiraçu e em João Neiva foram ampliados.

Outro lado

Em nota, a concessionária Eco-101 disse que ainda vai analisar o ofício enviado pelo Ibama, mas avalia que a proposta pode sim "ser a solução para o impasse". Em paralelo, serão analisadas as alternativas para o trecho da reserva.

Fonte: Portal de Notícias G1/ES





COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA