Projeto social leva boxe a crianças e adolescentes carentes de Linhares e busca apoio de voluntários

O projeto “Gladiadores de Cristo” existe há seis meses e, junto à preocupação social, está levando o esporte às áreas de risco social da cidade.

Projeto social leva boxe a crianças e adolescentes carentes de Linhares e busca apoio de voluntários
Crianças e adolescentes dos bairros Shell, Araçá e Aviso – uma das comunidades com maior índice de vulnerabilidade de Linhares –, estão literalmente lutando pela cidadania. Isso porque elas estão inseridas no programa social "Gladiadores de Cristo”, que oferece gratuitamente aulas de boxe e percussão. Ao todo, 30 jovens são atendidos pelo projeto idealizado pelo músico e professor de boxe, Alessandro Lima Guimarães. Há seis meses, em sua academia de boxe localizada no bairro Araçá, ele desenvolve o projeto de segunda a quinta-feira, nos turnos matutino (das 8 às 13 horas) e vespertino (das 13 às 16 horas).
 
Conforme Alessandro Guimarães, para participar do projeto, os futuros atletas devem estar devidamente matriculados e frequentando a escola regularmente. Além do treinamento, os jovens são instruídos a terem bom comportamento em casa e na rua, bem como boas notas na escola para continuarem participando das aulas. "São três horas que as crianças passam conosco. Elas praticam o boxe, participam do momento do lanche, ainda temos o momento da Palavra, em que pregamos sobre Jesus Cristo, e finalizamos os trabalhos do dia com aula de percussão”, contou o professor. 

Adversário 

Apesar da força de vontade e o empenho dos envolvidos em vencer todas as batalhas, o projeto "Gladiadores de Cristo” esbarra no seu maior adversário: a falta de apoio. "Nesse pouco tempo de trabalho, temos visto resultados na escola, pais dando testemunhos de que os filhos estão melhorando. É um projeto muito bacana, muito lindo, mas, infelizmente, não temos apoio”, lamentou Guimarães. Atualmente, o programa conta com algumas parcerias que ajudam com o lanche dos alunos.

Contudo, gastos com materiais e despesas de água e energia são custeados pelo próprio projeto. "Infelizmente, a gente fica triste pelo fato de não termos muito apoio. Eu abri o espaço, mas eu gostaria muito que a sociedade linharense abraçasse [o projeto], principalmente os empresários, pois são 30 crianças que a gente tira da rua”, disse. Segundo Guimarães, é preciso se "virar nos 30” na hora de aplicar as aulas. Devido à falta de equipamentos – são apenas 10 luvas disponíveis –, as tarefas são sempre divididas. "Não há material para todos, gostaria muito que conseguíssemos, mas fazemos assim: um pouco treina no saco (temos cinco sacos de boxe) e o restante colocamos para fazer abdominal. E assim vamos revezando”, contou. 

De acordo com o professor, a academia não dispõe de ringue próprio. Um evento esportivo será realizado no mês de setembro, numa faculdade da cidade, para arrecadar recursos para a compra do equipamento. Além disso, o projeto também necessita de um bebedouro com capacidade para atender os alunos. "É um trabalho excepcional, mas a gente precisa de apoio para o pagamento de energia, água ou para comprar alguma coisa que atenda também o local, pois, às vezes, temos que consertar um saco, substituir uma luva, e tudo custa dinheiro, não tem jeito”, disse Guimarães.

O projeto "Gladiadores de Cristo” também visa ampliar o atendimento às crianças por meio de acompanhamento pedagógico, psicológico e com assistente social. No entanto, para isso, inclusive, necessita de apoio voluntário. "Não adianta eu só trabalhar com as crianças se não tiver um apoio pedagógico, não tiver um atendimento com assistente social. A gente está precisando muito. Temos o espaço, mas não temos o profissional que atenda, pelo menos, uma vez por semana. Isso já valeria à pena”, destacou o professor.
 
Quem tiver interesse de ajudar o projeto com materiais esportivos, recursos financeiros ou como voluntário, deve entrar em contato pelo telefone (27) 9 9808 7715 ou se dirigir à sede do projeto "Gladiadores de Cristo”, situada à Rua Professor Jones, 110, bairro Araçá.





COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA